InicioNotícias6_Vestuário

6_Vestuário

CPM de pedra e cal em Moscovo

A edição física da feira de moda russa regressa no próximo dia 22 de fevereiro e, durante quatro dias, deverá acolher centenas de marcas, incluindo a portuguesa Cristina Barros, que vão apresentar as propostas de moda, lingerie e acessórios para o outono-inverno 2021/2022.

A essência de David Catalán

Reworks, a coleção para o outono-inverno 2021/2022 do designer espanhol radicado em Portugal, conjuga o vestuário de trabalho com o conforto e o guarda-roupa clássico. As propostas, que foram apresentadas no calendário oficial da Semana de Moda Masculina de Milão, marcam um regresso à essência da marca.

Para onde vai a indústria da moda?

O estudo The State of Fashion 2021 aponta dois cenários de recuperação e 10 temas que irão moldar a atividade da indústria da moda nos próximos 12 meses, incluindo a evolução da economia, as mudanças no consumidor e as alterações no próprio sistema.

Ramiro & Carvalho já não dispensa Quick Apps

A produtora de vestuário adotou definitivamente as aplicações da Lectra em setembro do ano passado e, apesar de alguma renitência inicial, admite que a Quick Estimate e a Quick Nest são já indispensáveis no dia a dia, garantindo maior rapidez no processo produtivo.

Pós-graduação do IPCA com cunho da Valérius

A Escola Superior de Design do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) criou uma nova pós-graduação em Design Têxtil e Moda desenvolvida em articulação com a Valérius. As candidaturas para as 20 vagas da primeira edição estão abertas até ao final do mês de fevereiro.

Retalho em mutação

A experiência do consumidor evoluiu drasticamente com a pandemia, que trouxe implicações para 2020, incluindo o crescimento dos gastos de e-commerce, uma preferência pelo estilo casual e um aumento nas interações sem contacto. Para 2021, e apesar de não saltarem logo à vista, são várias as mudanças já em curso para o todo o ecossistema de retalho.

Moda depende perigosamente de combustíveis fósseis

A indústria de moda recorre, cada vez mais, a fibras sintéticas que dependem «perigosamente» de combustíveis fósseis, revela um novo estudo da Changing Markets Foundation, que surge como um apelo à União Europeia em prol do slow fashion e de um sector mais sustentável.

Black Moda muda para embalagens sustentáveis

A produtora finlandesa de vestuário, têxteis-lar e meias, que detém uma confeção em Portugal, substituiu as tradicionais embalagens de plástico proveniente de combustíveis fósseis por uma versão mais amiga do ambiente, obtida a partir de celulose de madeira e com neutralidade carbónica.

Quer receber as nossas notícias?

Subscreva a nossa newsletter diária e receba as últimas notícias diretamente na sua caixa de e-mail