Chegou a Kintsugi

Dois portugueses transformaram a arte centenária japonesa de reparação de cerâmica não apenas numa filosofia de vida mas também numa marca de streetwear, «perfeitamente imperfeita», dizem. A primeira coleção é composta por hoodies, t-shirts e bonés.

A pandemia não travou a criatividade nem o empreendedorismo de Ruben Mangorrinha e Luís Serrano. Mesmo no início da era Covid-19, os dois portugueses lançaram uma nova marca de moda streetwear – batizada Kintsugi – em resposta à lacuna sentida na busca por «peças com qualidade e acessíveis», justifica a marca em comunicado.

Kintsugi é a designação dada à técnica japonesa de reparo de cerâmica, que preenche as lacunas de uma peça cobrindo-as com resina misturada com pó de ouro, prata ou platina. Esta técnica «enfatiza as imperfeições de um objeto mas também passa a mensagem de que valem mesmo que estejam com defeito ou quebradas, que existe vida – e beleza – para além das cicatrizes», destaca a marca.

[©Kintsugi]
«A filosofia ligada ao kintsugi pode ser aplicada à nossa vida atual, cheia de anseios

pela perfeição. Com o tempo, conhecemos falhas, deceções e perdas. Mas pretendemos esconder a nossa natureza frágil, que nos torna mais humanos e autênticos, sob a máscara da infalibilidade e do sucesso. Escondemos os defeitos, embora tenhamos defeitos desde que nascemos», afirma Ruben Mangorrinha

O objetivo da Kintsugi enquanto marca é transportar também esta filosofia de vida através de estampados subordinados ao mote “aceitar a imperfeição”.

«O mundo atual acostumou-se a camuflar as fragilidades: seja pelo sorriso mascarado ou, principalmente, por qualquer filtro nas redes sociais, queremos mostrar com a nossa marca que as fragilidades fazem parte de todos nós e que devemos encará-las como algo inato no ser humano», explica, por sua vez, Luís Serrano.

Associada à sua filosofia própria, a Kintsugi promove igualmente a vertente ecológica, com t-shirts produzidas com recurso a algodão orgânico certificado. A primeira coleção da marca, para além de t-shirts, abarca ainda hoodies e bonés, numa oferta que prima «pela qualidade», sublinha a Kintsugi.

[©Kintsugi]

Notícias relacionadas

Últimas notícias

Somelos integra tecidos com proteção UV na coleção

O desenvolvimento, realizado em parceria com a Universidade do Minho, permite ter tecidos finos e leves, feitos em fibras naturais celulósicas e com proteção aos raios ultravioletas. Além de um fator de proteção UPF 50+, os tecidos da Somelos têm características de conforto e uma multiplicidade de cores e padrões.

Robotização na produção de vestuário mais perto

Um projeto tecnológico financiado pelo Advanced Robotics for Manufacturing Institute e que junta a Siemens e a Sewbo deu os primeiros passos para revolucionar a indústria de vestuário, com a capacidade de confecionar uma peça de roupa sem intervenção humana.

Indústria de moda britânica anda às compras

A pandemia fragilizou muitas empresas de moda britânicas, que não tiveram outra hipótese que não submeter pedidos de insolvência ou procurar investidores. Uma oportunidade que está a ser aproveitada pelos players mais fortes, como a retalhista Marks & Spencer, que ontem confirmou a compra da marca Jaeger.

Quer receber as nossas notícias?

Subscreva a nossa newsletter diária e receba as últimas notícias diretamente na sua caixa de e-mail