Gallery Fashion com nota positiva

A feira em Düsseldorf, que juntou vestuário, calçado e acessórios de 30 de agosto a 1 de setembro, registou uma afluência superior à esperada e vai inclusive ser usada como modelo para as próximas edições.

A Gallery Fashion, a primeira grande feira de moda que se realizou na Alemanha depois do confinamento, teve «uma frequência muito superior à esperada», revelou Ulrike Kähler, diretora de projeto e diretora-geral da Igedo Company, responsável pela organização.

Os cerca de 300 expositores representaram aproximadamente 550 marcas, 40% dedicadas a moda e acessórios e 60% ao calçado. Apesar das restrições nas viagens, 54% dos expositores presentes eram de fora da Alemanha – de Portugal, estiveram 14 expositores.

O sucesso desta edição, explicou Ulrike Kähler, foi construído graças à última edição, já em pleno desenvolvimento da pandemia, na qual a organização teve de implementar diversas medidas de segurança. «Nos últimos meses, desenvolvemos, adaptámos e aperfeiçoámos ainda mais este conceito, por isso podíamos garantir que os nossos visitantes iriam sentir-se seguros e muito à-vontade em setembro de 2020», acrescentou.

[©Gallery Fashion]
As medidas de higiene e segurança nos halls, assim como a melhoria na ventilação com a renovação do ar, foram desenvolvidas em parceria com a Areal Böhler, onde teve lugar a Gallery Fashion, enquanto a gestão de entradas foi efetuada por uma entidade externa e permitiu ter uma noção precisa do número de pessoas em cada espaço. «Além do que é o negócio em si e nas reuniões com os clientes, foi nisso que a minha equipa e eu investimos mais tempo. Para além das exigências oficiais, foi incrivelmente importante para nós, porque estávamos emocionalmente muito empenhados nas nossas parcerias profissionais», salientou a diretora-geral da Igedo Company.

«Quem arrisca, ganha»

Um empenho que foi elogiado por Manfred Junkert, diretor-geral da Bundesverband der Schuh- und Lederwarenindustrie e.V., a associação alemã de calçado e artigos em pele, na conferência de imprensa. «Quem arrisca, ganha», afirmou.

[©Gallery Fashion]
Além das coleções, a feira recebeu ainda um desfile especial do German Fashion Institute e a apresentação da situação do mercado pela revista TextilWirtschaft, assim como informação de tendências e a revelação de um estudo da WMS sobre os pés das crianças alemãs. No certame esteve ainda a lenda do ténis Boris Becker, que desvendou a sua nova coleção em Düsseldorf.

Esta apresentação conjunta de vestuário, calçado e acessórios numa única data serviu ainda como referência e, face ao bom acolhimento por parte da indústria, a Igedo Company está a avaliar a aplicação deste conceito às habituais quatro edições anuais das feiras, «com a correspondente ponderação para cada data», apontou Ulrike Kähler. «Esta edição mostrou-nos que os compradores profissionais estão a retirar inspiração da nossa visão completa de moda, calçado e acessórios, mesmo nas circunstâncias atuais», reconheceu. Isso aplica-se também aos segmentos Comfort e Kids.

Fashion Trend Pool, Marga Indra Heide [©Gallery Fashion]
«O facto das marcas serem agora mostradas num contexto geral e não apenas no seu próprio segmento também gerou muito feedback positivo», assegurou.

Desta forma, todas as edições futuras deverão incluir vestuário e calçado. A primeira, sob a designação Gallery Fashion & Shoes, está agendada de 31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2021 e a segunda, batizada Gallery Shoes & Fashion, deverá realizar-se entre 7 e 9 de março de 2021.

Notícias relacionadas

Últimas notícias

Somelos integra tecidos com proteção UV na coleção

O desenvolvimento, realizado em parceria com a Universidade do Minho, permite ter tecidos finos e leves, feitos em fibras naturais celulósicas e com proteção aos raios ultravioletas. Além de um fator de proteção UPF 50+, os tecidos da Somelos têm características de conforto e uma multiplicidade de cores e padrões.

Robotização na produção de vestuário mais perto

Um projeto tecnológico financiado pelo Advanced Robotics for Manufacturing Institute e que junta a Siemens e a Sewbo deu os primeiros passos para revolucionar a indústria de vestuário, com a capacidade de confecionar uma peça de roupa sem intervenção humana.

Indústria de moda britânica anda às compras

A pandemia fragilizou muitas empresas de moda britânicas, que não tiveram outra hipótese que não submeter pedidos de insolvência ou procurar investidores. Uma oportunidade que está a ser aproveitada pelos players mais fortes, como a retalhista Marks & Spencer, que ontem confirmou a compra da marca Jaeger.

Quer receber as nossas notícias?

Subscreva a nossa newsletter diária e receba as últimas notícias diretamente na sua caixa de e-mail